Para acelerar impeachment, oposição quer impedir recesso no Congresso

79

Após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizar nesta quarta-feira (2) abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, parlamentares da oposição já querem pressionar para que não haja recesso no Congresso em janeiro. O objetivo é acelerar o andamento do processo de investigação de Dilma.

O recesso tem início em 22 de dezembro e vai até fevereiro. Pelo regimento, cabe ao presidente do Congresso Nacional decidir se autoriza o funcionamento de comissões nesse período ou se convoca sessões extraordinárias para deliberações.

“Não vai ter recesso. Imagina um processo de impeachment da presidente Dilma aberto e os deputados em recesso. Tem que investigar. Óbvio que vamos pedir para que não haja recesso”, disse o líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio (SP).